O handfasting é uma cerimónia comum a várias tradições neopagãs, como a Wicca ou a Celta. Na origem da sua palavra está o conceito de “dar as mãos”. No fundo, é o que acontece na cerimónia de casamento entre os noivos.

Wicca é uma prática religiosa que se caracteriza pela ligação das pessoas com o meio ambiente: trata-se de virar a atenção para a natureza e para os seus ritmos, de modo a conviver em harmonia com o mundo que nos rodeia. A cerimónia do casamento Wicca segue esta linha de pensamento e inclui uma série de rituais que invocam a conexão com a natureza.

Em que consiste o casamento Wicca?

As cerimónias Wicca estão plenas de simbologia e detalhes, cada um com um significado especial quer individualmente, quer no seu conjunto. Apesar de cada cerimónia ser diferente, existem normalmente alguns elementos comuns: este casamento deve ser celebrado no meio da natureza e recorre a elementos como o sal, a água e o incenso purificados.

O altar onde se celebra o enlace é decorado com velas brancas, um prato com sal e terra, um sino de latão, uma vara, um punhal ou espada, um cálice de água, óleo de rosas, cristais, vassouras e vinho. Todos eles devem ser visíveis durante a cerimónia.

Como é organizado?

O espaço onde se realiza a celebração é normalmente preparado antes da chegada dos noivos: o sacerdote ou sacerdotisa faz uma limpeza energética do local e delimita um círculo mágico no chão que é onde será realizada a união dos noivos. Após esta limpeza, são invocados os elementos e os guardiões bem como a presença do Deus e da Deusa. Depois desta preparação os convidados já podem estar presentes, tal como os noivos.

Desenvolvimento do casamento

É então que os noivos entram de mãos dadas, vestidos de branco com uma grinalda e seguem por um caminho de flores onde nove mulheres os recebem: quatro de cada lado e uma à frente. Elas espalham depois pétalas em cima do casal como sinal de proteção da união.

Os noivos ficam depois separados no altar, ao pé dos seus pais, padrinhos e amigos. A seguir, ao mesmo tempo que o sacerdote conta a sua história de amor, os noivos aproximam-se um do outro. Já nas laterais do altar estão duas mulheres, uma com um cálice de vinho que representa a Deusa, e outra com um punhal que representa Deus. É então que o casal faz as suas promessas de amor e as suas mãos são unidas por uma corda que se vai apertando ao mesmo tempo, simbolizando a sua união.

Depois deste ritual a cerimónia continua com algumas palavras do sacerdote e dos noivos (que podem ser personalizadas conforme os desejos dos noivos). No fim todos aplaudem e continuam a festejar a união já de uma forma mais descontraída.

Gostas deste tipo de cerimónia? Achas que poderias fazer algo assim no teu casamento?