Mint Tea Photography
Mint Tea Photography

Um casamento de sonho é tudo o que vos passa pela cabeça. A escolha do vestido de noiva ideal, do cardápio e das sobremesas. A ansiedade para que tudo se torne perfeito, os convites de casamento e a expectativa de ter todos os amigos reunidos… planear o vosso dia de sonho é um autêntico conto de fadas, mas a verdade é que são poucos os casais que planeiam a sua vida além da lua de mel. O período pós casamento é, geralmente, uma volta à normalidade e uma adaptação a uma vida em comum, com todas as vantagens e dissabores que daí poderão advir. E há um ponto muito sensível que raramente é falado e que pode ser a origem de muitas discussões: as finanças! Sim, gerir o vosso dinheiro, as poupanças e investimentos pode ser uma verdadeira dor de cabeça, e é aí que muitas opiniões colidem... Caso vivam juntos e queiram ajuda para resolver estas questões ou tenhas acabado de receber o anel de noivado e se queiram precaver de algumas situações desagradáveis, este artigo é de leitura obrigatória!

Parallax Photography
Parallax Photography

A comunicação é chave

Todos sabemos o quão desagradável é estar, constantemente, a falar sobre dinheiro. O custo de umas férias de sonho, daquele vestido de cerimónia barato ou dos vossos gastos mensais. O diálogo é essencial para ajustar expectativas e responsabilidades mas, para que isso não se torne uma constante na vossa relação, uma dica que funciona é tirar tempo para falar só de dinheiro. Reservem umas horas da semana ou do mês para discutir acerca de poupanças, gastos e investimentos, e façam-no com uma certa periodicidade. Fazer contas e definir objetivos – verbalizando-os – torna o vosso diálogo muito mais direto e objetivo e retira aquela carga negativa ao assunto “finanças”.

Definam objetivos a curto, médio e longo prazo

O dinheiro não é necessário apenas para consumo imediato, mas um importante meio para alcançar sonhos e objetivos. Quando mais cedo se mentalizarem disto, melhor! Só assim começarão a ver os vossos gastos como um investimento e a estabelecer metas para crescer financeiramente. Mesmo que não pensem em ter filhos, casar é formar uma família e, como tal, as decisões devem ser conjuntas. É muito importante que estabeleçam prioridades e que diferenciem bem os objetivos de acordo com o tempo que os desejam ver a ser cumpridos.

Parallax Photography
Parallax Photography

Entendam a origem do conflito

Sabiam que, em Portugal, o dinheiro é uma das principais causas de divórcio? Os dados são realmente preocupantes. O clássico do marido esbanjador ou da mulher que não olha para as etiquetas de preço é uma constante mas, por detrás dessas denominações, costumam existir grandes problemas de confiança, falta de diálogo e desonestidade. É importante tratarmos os problemas de raiz, um a um, e de forma séria e focada. Muitas vezes, o que se manifesta em dinheiro é, na verdade, uma determinada necessidade emocional, uma preocupação ou apenas falta de atenção.

Alinhem as vossas prioridades

Após trocarem alianças de casamento e viverem juntos, o casal traz para a relação todas as suas vivências passadas. E além de virtudes, sonhos e expectativas, o pacote inclui também hábitos menos bons, muitas vezes relacionados com dinheiro. Numa primeira fase, é muito importante que se visualizem como pessoas individuais, com todas as vossas características e ambições. Mas, por outro lado, é essencial que procurem nessas diferenças – ou semelhanças – objetivos em comum. Antes de trocar alianças, tenham uma conversa séria sobre os vossos projetos para o futuro e façam planos a dois! É muito importante que não deixem estas conversas para depois de provarem o bolo de casamento original – há imenso casais que só depois de morarem juntos se vêm perante problemas como este. Por isso, tão importante como conciliar os interesses de cada um é definir o projeto em família. Onde querem investir? Qual o património que desejam acumular? Quais os projetos que têm a dois?

Face a problemas, procurem juntos a solução

… e não o culpado. Este é um dos pontos mais importantes de todo o artigo. É muito fácil atribuirmos culpas a alguém perante um problema que saiu do nosso controlo, mas será que é isso o mais importante? Se pedir desculpas ou admitir o erro não soluciona o vosso problema, está na hora de pensar em soluções e não na responsabilidade que cada um teve na matéria. Naquela altura em que apenas experimentavam fatos e vestidos de noiva simples, estavam longe de imaginar a complexidade de um casamento, mas é muito importante que o casal se veja como uma equipa e que se mentalize, desde o início, que vão eventualmente ter de passar por alguns desafios juntos. Lembrem-se sempre, não são as dificuldades que vos definem, mas sim a forma como decidem lidar com elas e avançar com o vosso futuro.

Livrem-se de preconceitos

Infelizmente, ainda existe muito pudor quando o assunto é dinheiro... Como referimos no primeiro ponto, a comunicação está na base de uma relação de sucesso e, no que toca a finanças, é muito importante que o casal seja transparente e partilhe todas as suas conquistas e receios. 

Ao longo da vossa vida vão deparar-se com muitas decisões financeiras e, quando se trata de um casal, não há uma fórmula mágica para garantir que tudo corra bem. Tudo começa antes de dar o nó… decidir qual o bolo de casamento, o vosso hotel para a noite de núpcias ou o destino de lua de mel consoante o orçamento pode ser realmente complicado. E como não existem dois casais iguais, cabe a vocês próprios decidir quando e onde investir, como gastar e como poupar para os sonhos que têm em comum. O ideal é que comecem o mais cedo possível a falar sobre estas questões e a definir objetivos, e que não deixem todas as conversas e decisões para depois de oferecerem as lembrancinhas de casamento aos vossos convidados.