Durante o casamento, para além dos elogios ao vestido de noiva e dos votos de felicidade, é bastante previsível que surja a incómoda pergunta: “e para quando os filhos?” A intenção é boa, mas a resposta nem sempre é fácil. 

Se é vaga ou negativa, as reações dos amigos e familiares oscilam entre “assim quem é que vai cuidar de ti quando fores velha?” e “estás a ser muito egoísta”, e raramente são amistosas. O importante é saber ignorar a pressão e as referências ao implacável “relógio biológico”, que surgem como complemento ao anel de noivado. Por isso, se és uma noiva NoMo (termo que significa “No Mothers”), aceita a tua identidade sem medo! E todas aquelas prendas de casamento destinadas aos hipotéticos rebentos, sempre podem servir de presente a alguma amiga no futuro.

Aceita-te como és

Longe vão os dias em que ser mulher se limitava à sua capacidade reprodutiva. Apesar de ainda existirem muitas conquistas pendentes, a verdade é que é cada vez mais comum e aceitável que uma mulher não queira ser mãe. Mas, antes de sair e enfrentar a sociedade, é importante que te sintas segura dos seus desejos e escolhas.

Reconhecer instintos não maternos é o primeiro e mais importante passo. Ter filhos é uma grande responsabilidade que altera totalmente (e para sempre) a vida do casal. Por isso, é imprescindível debater a questão com honestidade e sem receios, tanto em conjunto, como contigo própria. 

Casamento vs Paternidade

Da mesma maneira que o teu vestido de noiva com renda é único, nunca haverá um relacionamento igual ao teu, pois cada casal é formado por indivíduos com personalidades e desejos incomparáveis. Não te deixes manipular por padrões impostos e não duvides da estabilidade do teu relacionamento.

Como casal, preparem-se para ouvir sentenças pouco agradáveis (“o vosso casamento será incompleto sem filhos” e por adiante...) e preparem também uma boa estratégia de fuga. Afinal, não são os filhos que asseguram um relacionamento duradouro e próspero. Se já tens o anel de noivado na mão, é porque vocês se conhecem e respeitam mutuamente. Opiniões alheias não podem estragar isso.

Sobrevivendo às críticas

Pensa em todas aquelas pessoas antiquadas e conservadoras que conheces... Se criticam um vestido de noiva curto, imaginas como podem criticar uma mulher sem instinto materno? É obvio que vais ser julgada. O importante é aprender a lidar (e ignorar) as críticas e não ceder a provocações. Não tomes nada demasiado a peito. Muitos dos discursos que vais ouvir têm como base tabus e preconceitos muito enraizados, que dificilmente se poderão eliminar... Recomendam-se grandes doses de paciência, tal como tiveste para escolher um penteado com tranças dos milhares que a cabeleireira te propôs.

Moral da história: Leva a tua vida em harmonia com o que desejas. Não queiras sempre atender ao que os outros esperam. Se és uma noiva que não pretende ter filhos, assume-o com naturalidade. Por muito controverso que possa ser um vestido de noiva preto ou uma mulher sem bebés, a decisão é inteiramente tua. Por isso disfruta do teu bolo de casamento, da música e da alegria, pois és a dona do teu destino!