A crise de saúde do COVID-19 e as medidas que foram e que estão a ser tomadas para impedi-la levaram a mudanças drásticas nos planos de muita gente. A situação torna-se ainda mais difícil para os casais que planeavam celebrar o casamento nesta época pandémica e que já podiam ter experenciado o dia de sonho com o vestido de noiva ou o fato de noivo perfeito para a ocasião.

O que fazer com os convites de casamento que preparámos? Seremos capazes de abraçar os nossos entes queridos durante a celebração? Continuamos com os detalhes do casamento que pensámos ou modificamos? Certamente estas e muitas outras questões surgiram na vossa mente nos últimos meses e não é por menos, já que adiar o casamento exige tomadas de decisão importantes e um grande esforço mental. E nestas situações excepcionais, a incerteza pode causar sentimentos como a frustração. Em mote de vos ajudar, perguntámos a Enric Valls, um psicólogo especialista em saúde e bem-estar emocional, como lidar com a frustação da maneira correta.

Naturalize a frustração

“É a emoção que se sente quando um desejo que foi planeado não é concretizado, ou seja, há uma impossibilidade de alcançar algo que se desejava num determinado momento”. É assim que Enric Valls define frustração. Portanto, se tiveste que adiar o teu grande dia e já tinhas escolhido os sapatos de noiva e todos os restantes adereços nupciais, é normal que o sintas. Na verdade, afirma Valls, “o estranho seria não o sentir. Um casamento implica ter certas expectativas. Decide-se em que data celebrá-lo, que pessoas convidar, que pormenores escolher, etc. Portanto, se cada uma das ideias planeadas inicialmente são direta ou indiretamente alteradas, as expectativas falham. Portanto, o especialista afirma que "Quanto mais naturalizas a frustração, mais fácil será para a entenderes."

Ferramentas para aprender a gerenciá-la

Mesmo que toda a situação te faça sentir mal ou triste, é importante viver, abraçar e aceitar a frustração. O especialista consultado acredita que reconhecer e identificar emoções negativas é o primeiro passo para gerenciá-las. "Quando aceitas que está a sentir uma emoção negativa, ela diminui e, por consequência, desaparece. Existe uma compreensão, um conhecimento e um perdão." Nesse sentido, escrever pode ser uma ferramenta fantástica para isso, pois traduzir o que sentes em palavras tem grande poder de cura."

Mais opções? Sim, claro! Autoverbalização! Construir frases positivas que inspirem força, e a busca de alternativas ao plano inicial que possam ser válidas e eficazes. Neste caso, por exemplo pode ser a procura de uma nova data para o grande dia que vos satisfaçam mutuamente. “Os prós e contras de cada ideia podem ser analisados ​​até que se chegue à opção mais ideal”, diz Enric. Além disso, aconselha distanciar-se daqueles ambientes, pessoas ou situações que podem afastá-lo do seu objetivo.

Ele também afirma que é essencial que cada membro do casal reserve um tempo individual e até em conjunto para controlar a frustração. Noutras palavras, "um período de tempo razoável é essencial para atingir um esfriamento emocional." E cada um tem o seu próprio tempo. "Há pessoas que levam algumas horas, e outras várias semanas. Importante entender que "não importa quanto tempo demore cada um para assimilar. O importante é que os sentimentos negativos diminuam a cada dia", explica. 

Resiliência, a tua grande aliada

As reações de raiva ou ansiedade geradas pela frustração consideram a resiliência a melhor "ferramenta" para combatê-la. A frustração ensina-nos a tornar as nossas mentes mais flexíveis e aceitar os diferentes pontos de vista. "A falta de controlo existe nas nossas vidas, queiramos ou não, mas graças a ela podemos aprender, desenvolver e amadurecer. A chavé é a aceitação! Aceitar que o que esperávamos não acontecerá como tal. E o mais rápido possível. Esta aceitação da situação ocorre, antes que nos possamos concentrar em encontrar uma solução para tudo o que podemos controlar ”, explica o psicólogo.

Dentro das diferentes soluções possíveis está a continuação da organização do casamento apesar do coronavírus. Com todos os preparativos prontos ou não, podes sempre aproveitar o momento para continuar a desfrutar das mais belas etapas do grande dia, mas como? Descobre as ideias originais e divertidas de casamento para impressionar os convidados, inspirando-se nas tendências atuais ou em ideias de photocall, ou pensando nas mesas de banquete para obteres o layout perfeito. Além disso, Enric Valls, oferece uma ideias brilhante caso tenhas que reagendar o teu "sim, aceito". O que achas de em vez de um casamento, comemorares dois? Na data inicial podem organizar uma festa com a familia e amigos mais chegados, e meses depois, na nova data, uma festa maior, com toda uma lista mais ampla de convidados!"

Importância de ter um plano B

Agora mais do que nunca é importante traçar um plano B com todos os fornecedores contratados, que seguramente têm uma empatia enorme com vocês e se empenham ao máximo para que nada falhe no vosso dia. "Ter uma segunda data vai dar uma sensação de traquilidade e alívio neste momento", explica o psicólogo. Assim, conversar com os profissionais para remarcar o casamento, acertar as condições e notificar os seus entes queridos do adiamento vai facilitar o controlo da frustração.

Da mesma forma que não faz mal ter um plano de contingência caso chova, como, por exemplo, guarda-chuvas para todos os presentes, pensar noutras opções e planeá-las fará com que se sintam mais relaxados. Da mesma forma, Enric afirma que é necessário ser realista com os eventuais gastos extras que possam ocorrer e, sobretudo, fazer cálculos para verificar se podem ou não ser assumidos. Caso não consiga cobri-los, sugere reduzi-los para poder celebrar da melhor maneira o dia de todos os sonhos.

Solidariedade: hora de conectar

Se o COVID-19 destacou algo, foi a importância da tecnologia nas nossas vidas e, claro, no setor nupcial também. E graças ao conteúdo e a todas as ferramentas oferecidas pela plataforma online e pelo aplicativo móvel de Casamentos.pt, vocês podem criar um site de casamento, gerenciar o pedido de convites de casamento personalizados ou verificar os fatos originais do noivo mais bonitos, por exemplo. Podem até fazer uma tour virtual pelas instalações dos vários fornecedores.

O psicólogo ressalta que o contato com outros casais também pode ajudar a superar a frustração. Assim, utilizar a Comunidade do portal para trocar opiniões e partilhar dúvidas e inquietações com outros casais que estão a passar pelo mesmo é uma recomendação fantástica. “Pedir ajuda a amigos e familiares também pode ser uma boa ideia, desde que o casal se sinta à vontade. É na adversidade que surgem novas oportunidades de relacionamento”, acrescenta.

Da mesma forma, aponta para os próprios fornecedores, que estarão dispostos a ajudá-lo no máximo possível para enfrentar a situação. A rede de apoio será fundamental, por isso é fundamental cuidar dela para que se torne a melhor via de fuga. “Encorajar um ao outro os manterá fortes até no dia do casamento”, diz o especialista.

Embora seja temporário e vá desaparecer, conhecer a fundo a frustração da mão de um psicólogo especialista em bem-estar e saúde é a melhor maneira de enfrentar a retração emocional que pode ter feito com que reagendassem o casamento por causa do COVID-19. Portanto, se finalmente forem forçados a adiar o casamento, pensem que isso não significa o fim de um sonho. É um adiamento, que vos dará mais tempo para organizar o grande "sim". Vejam o lado positivo: os convidados terão mais tempo para escolherem os seus vestidos de festa e o melhor penteado de noiva, vocês podem reunir mais informações para a vossa lua de mel e repensar as canções de casamento da playlist final caso queiram adicionar mais algumas. A chave para o sucesso? Concentrem-se na solução, não no problema, e sempre com amor!