Já têm a vossa casa escolhida, alugada ou comprada e chegou a hora de mobilá-la. Uma tarefa que parece tão emocionante pode tornar-se num verdadeiro pesadelo, se não tiverem paciência, se não se ouvirem mutuamente e se não respeitarem as vontades e o gosto de cada um. Como em quase tudo na vossa relação, aqui trata-se de um equilíbrio de cedências entre os dois. A casa não pode ser mobilada só ao gosto de um, nem pode ser só uma das pessoas a ter trabalho com este tema.

Uma das primeiras coisas que devem ter em conta é que não vai ser uma tarefa rápida. Não existe isso de vamos ali uma meia-hora e compramos os móveis. Até porque devem ver tudo com calma, principalmente os móveis de conforto, como camas e sofás. Devem deitar-se e sentar-se neles, até que tenham a certeza que são esses os que querem comprar.

Não te espantes se o teu companheiro ou companheira te abandone por momentos na loja de móveis. Possivelmente vão-se interessar por coisas diferentes e algumas dessas coisas podem não ser do teu agrado, mas se forem muito importantes para o teu par, abre cedências. Pois também pode acontecer o contrário.

 

 

 

A tua mulher tem sempre razão
Pode ser um preconceito, mas normalmente as mulheres movem-se melhor numa loja de decoração do que um homem. Estão mais atentas às modas, ao que faz mais falta e ao que é mais prático. Não deixando de lado obviamente, a parte estética, tão importante para o elemento feminino. Prepara-te para que ela te encha a casa de cores e padrões. Não deixes que isso gere discussões, aceita algumas coisas e se vês que a situação é exagerada fala com ela com toda a calma e fá-la entender que também tens de dar a tua opinião.

 

 

“Amor, calma, que isto cabe no carro”
De outra parte, temos o lado masculino, que com a sua falta de noção de espaço, acha que tudo cabe no carro e depois às vezes não é bem assim. Este tema pode provocar muitas discussões, por isso se o detetam, evitem-nas. Façam-no ver que se calhar não vai caber tudo no carro e que não há problema nenhum em pedirem que vos façam a entrega a vossa casa, de uma parte das coisas compradas.

A seguir vem a parte de tirar tudo do carro e subir os móveis a casa, no caso de viverem num andar, que é o caso da maior parte das pessoas. De repente dão-se conta que alguns elementos dos móveis não cabem no elevador e que vão ter de carregá-los pelas escadas. Outro contratempo com o qual há-que lidar com toda a calma e paciência.

 

 

 

Ter muitas ferramentas
Chega o grande momento de montar os móveis. E embora hoje em dia a maioria deles venham com instruções, porque é que parece sempre que vêm com demasiados parafusos? Nesta situação também existe uma tendência para que o elemento masculino da relação sobreponha as suas ideias e muitas vezes ache que é o melhor a montar móveis, mas nem sempre é assim.

O mito de montar os móveis em casal
Na maioria das vezes, aquilo que vemos nos filmes não é real. O casal feliz a montar os móveis, a rir-se, tudo parece tão fácil e maravilhoso. Mas quando toca a nós montá-los, a imagem não é tão bonita. Esta é outra prova de fogo, ou vão ficar mais unidos ou partir para outra relação. Estamos a exagerar, mas esta tarefa pode ser mesmo uma oportunidade para conhecerem melhor o vosso parceiro e a vocês mesmos. 

Depois de todo o cansaço de ir à loja, escolher os móveis, transportá-los e carregá-los até casa e de montá-los, o cansaço é enorme e ao mesmo tempo a paciência muito pequena. Se passaram todos estes obstáculos, passaram a grande prova de mobilar uma casa em casal. Estão mesmo preparados para casar!

Sentiram-se identificados com alguma destas situações?