Pensar em finanças é inevitável quando decidem dar o próximo passo na relação e entregar os convites de casamento. Quando o casal se prepara para uma vida em conjunto, a gestão do seu dinheiro é um ponto essencial, em que devem procurar sempre agir por mútuo acordo. Sim, um de vocês escolheu o sabor do bolo de casamento e o outro o tema para a decoração. Mas quando se trata de algo tão pessoal como as vossas finanças, o melhor é aconselharem-se bem antes de tomar qualquer decisão! Contas separadas, contas conjuntas… o que acham que iria funcionar melhor no vosso caso? Se ainda não tens o anel de noivado, está na hora de discutir todos estes pormenores.

O que é?

A conta conjunta é um tipo de conta bancária geralmente utilizada por casais, que se destaca das outras contas pelo facto de ser considerada coletiva, e não singular. Assim, ela só pode ser movimentada com a autorização simultânea de todos os titulares – neste caso, os membros do casal. Antes de decidir pela melhor modalidade, avaliem-se: um de vocês é mais poupado e outro mais gastador? As compras do teu parceiro incomodam-te e não sabes ainda o valor que gastou com o vestido de noiva com renda? É imperativo estarem na mesma página e totalmente de acordo com todas as decisões um do outro, caso contrário, talvez esta não seja a escolha mais acertada para vocês.

Falar de dinheiro

Dinheiro é um tópico sensível para muitas pessoas e, por isso mesmo, pode não ser fácil para os noivos falar disso abertamente ao início. Mas mais do que ninguém, vocês devem esquecer os tabus e pensar a longo prazo. Os vossos vencimentos são muito díspares? Como preferem organizar-se no dia a dia? Uma conta conjunta implica total conhecimento e consentimento de ambos os membros do casal quando se trata das despesas, por isso é fundamental que sejam honestos e que falem objetivamente dos ordenados, prémios, investimentos, comissões, despesas fixas, empréstimos por saldar ou quaisquer outros detalhes antes de trocarem alianças de casamento.

Estabelecer metas financeiras

Optar por uma conta conjunta implica um compromisso de esforço e contribuição constantes. Se vocês têm os mesmos objetivos a longo prazo e não conseguem atribuí-los unicamente a um dos membros do casal, a conta conjunta pode ser uma excelente opção. Se, por outro lado, preferem manter alguma independência e escolherem sozinhos as vossas alianças de ouro branco, poderão sempre optar por manter as vossas contas individuais e criar uma conjunta apenas para despesas e objetivos que tenham em comum. Assim, cada um define a quantia a colocar nessa conta e, daí, retira o necessário para pagar as vossas despesas fixas e gastos em comum – uma forma interessante de aproveitar as vantagens da conta conjunta, mantendo a intimidade dos gastos pessoais.

Emotion Photography

Vantagens

Ao viverem juntos, vocês vão decididamente ter despesas em conjunto. A casa, os consumos energéticos, o carro, a alimentação, as comunicações… tudo isso irá ser saldado em conjunto, mas não só. Ao optar por uma conta partilhada, estão também a depositar um voto de confiança no vosso parceiro/a. Se já têm por hábito dividir todos os gastos desde que fizeram os convites de casamento, basta que continuem, mas, desta vez, sem juntar de duas contas separadas. Ter uma conta bancária conjunta facilita a gestão financeira, desde que haja comunicação e que os titulares confiem um no outro. No vosso caso, esta conta evita a realização de movimentos e transferências bancárias constantes. Para além disso, terão muito menos burocracia com que lidar – uma conta e um único extrato bancário vai facilitar a vida e a organização dos titulares.

Desvantagens

Embora à partida possa parecer a solução mais prática, muitos casais argumentam que a conta conjunta lhes retira autonomia e independência. A verdade é que se os titulares não chegarem a um consenso sobre determinados gastos, poderá criar-se um clima de tensão que tende a agravar-se e, nos casos em que os rendimentos são muito diferentes, com um a contribuir mais do que o outro, podem mesmo surgir ressentimentos. Outra desvantagem é que se for necessário realizar um pagamento imediato ou movimentar uma quantia mais elevada, terão de ter o consentimento de todos os titulares, por isso tenham sempre em mente o fator tempo.

Quando o assunto é dinheiro, é importante que esclareçam todas as dúvidas atempadamente e que não deixem as decisões mais importantes para depois de entregar as lembrancinhas de casamento. Preferem partilhar todos os investimentos e despesas? A conta conjunta é uma modalidade perfeita se o casal não vê qualquer sentido em ter gastos separados depois do casamento. Se já tens o vestido de noiva, qual é a tua opinião sobre a matéria?