Um amor que floresceu ao longo dos anos. Débora e Daniel já se conheciam dos tempos da igreja, mas foi quando Daniel entrou para a faculdade que os seus caminhos se cruzaram. O amor não conhece limites nem perde tempo e, foi assim que após um primeiro susto com a ideia de reagendar todo o evento, o casal se ergue de novo para enfrentar um dos maiores desafios que este ano nos propôs. Um casamento único, uma atmosfera muito pessoal e um espaço cheio de detalhes onde a felicidade reina, foi assim que os noivos trocaram alianças contornando todas as vicissitudes e abrindo um caminho de esperança para quem esteja hesitante por celebrar nesta nova realidade.

Um percurso académico juntos… até ao pedido mais emocionante

Foi na Faculdade de Ciências e Tecnologias da Nova, na Costa da Caparica, que deram os primeiros passos juntos. Um primeiro contacto em 2015 para conhecer todo o campus e realidade académica levou a que, no ano seguinte, Débora e Daniel começassem a namorar. O casamento veio, então, como uma resposta intuitiva aos planos que já faziam a dois. Débora, que adora desafios sob pressão, dizia que não queria ficar mais do que um ano noiva, sendo que decidiram que 2020 era a data para celebrar o casamento.

O pedido surgiu de forma muito natural, uma vez que o casal tinha já delineado o seu percurso a dois. Foi precisamente um ano antes da data inicial que escolheram – a 2 de maio – que Daniel decidiu ajoelhar-se e pedir Débora em casamento, precisamente no mesmo sítio onde um ano depois, iam trocar alianças! Os noivos não conheciam o espaço e decidiram ir visitar algumas quintas, mas quando chegaram à Imppacto, na Herdade de Monte Novo, não precisaram de procurar mais. “Ficou logo marcado naquele dia” revelou Débora, sem conter o entusiasmo.

Lidar com os imprevistos

O casal estava confiante que o casamento se podia celebrar em maio, mesmo após Sara, a organizadora da quinta, ter ligado a saber quais as opções para adiar o dia. Perante todos os preparativos, ninguém contava que uma pandemia assolasse o país e o mundo e se atravessasse no caminho de todos os que queriam celebrar o amor. Mas de forma assertiva e muito confiante, Débora e Daniel escolheram ainda assim o mês de julho – a data mais próxima em que era possível conjugar todos os serviços de fornecedores, os fotógrafos e a quinta, causando o menor transtorno possível para os convidados, que já tinham planeado tudo antes do impensável ter acontecido – e assim foi.

Ultrapassar todos os obstáculos

Ela engenheira do ambiente e ele, engenheiro eletrotécnico. Juntos a formar uma equipa de sucesso que foi posta à prova, mas que superou com distinção todas as contrariedades! Os preparativos decorreram de forma muito tranquila, pois o casal já sabia bem o que queria ao escolher o espaço. “A nossa ideia era que aquilo parecesse um jantar familiar, apenas com as pessoas mais próximas” conta Débora, “daí a ideia das mesas corridas”, não só para evitar que se formassem grupinhos entre os mais próximos, mas também para criar um ambiente mais leve e intimista, onde todos se sentissem parte das celebrações!

Metódicos e muito organizados, o casal preparou tudo para que no último mês antes do casamento pudessem relaxar. Mas o anúncio do estado de emergência, a pouco tempo do seu dia de sonho, foi um choque e foi a partir daí que as coisas começaram a descambar. Como não sabiam quando tudo ia passar, os noivos acabaram por colocar em pausa todo o planeamento.

Foi apenas mais tarde, quando souberam que a nova legislação referente a casamentos tinha saído, que voltaram em força, aproximadamente um mês antes do grande dia. Foram alturas “muito stressantes” revela Débora, que teve algum receio que também os convidados sentissem medo e que isso os impedisse de desfrutar.

Adaptar um dia de sonho

Felizmente, correu ainda melhor do que o planeado e a ideia de festejar o bom tempo no exterior ganhou ainda mais força por descobrirem um sítio onde tudo isso era possível! A parte mais favorável foi acabarem por evitar fazer cedências na lista de convidados. Como já era bastante diminuta e a quinta Imppacto tem uma área extensa, evitaram-se cortes e todos puderam celebrar de igual forma! Os noivos destacam a dedicação e profissionalismo dos profissionais como forma de garantir segurança e as medidas ditam isso mesmo; Todo o espaço tinha sido sujeito a uma desinfeção e, no copo de água, o número de convidados por mesa foi limitado, para que conseguissem guardar maior distância, os pratos nunca estiveram expostos ao ar e as placas de acrílico no buffet garantiam que não havia contaminação.

Os garçons tinham todo o cuidado ao servir cada convidado individualmente, o que foi bastante benéfico para todos os presentes. Débora confessa ter ficado preocupada que todas as medidas de segurança dessem ao seu casamento alguma impessoalidade, porém, tudo foi feito de forma tão natural que nem se dava conta “toda a gente se sentia mais segura, o que é ótimo! E não achei que mudasse em nada a ideia original”, o que foi sempre objetivo dos noivos.

Equipas de sucesso para um dia único!

De que forma apostar em fornecedores em quem confiamos se reflete no produto final? Será um conjunto de bom feedback garantia de sucesso? A relação que é mantida com os fornecedores é essencial para garantir um dia ajustado às expectativas dos noivos. Destaca-se a Overall Studio, pelo profissionalismo e pela autêntica capacidade de registar os momentos mais felizes do casal. 

No entanto, profissionalismo, confiabilidade, uma boa linha de comunicação e honestidade são alguns dos valores que tantos noivos exaltam como essenciais na escolha das equipas a quem se devem aliar para conseguir um casamento de sonho e, este casal não é exceção, “eles eram muito atentos a tudo, muito cuidadosos” revelam, adiantando que toda a equipa estava comprometida com a segurança e higienização constante dos espaços.

Os convidados não travaram quaisquer problemas ao adiamento da data e, juntando a isso a garantia de que todas as medidas de segurança estavam a ser cumprida, apenas podia resultar em memórias únicas! “Não fazia sentido estará a adiar este dia por muito mais tempo”, conta Débora, “como é tudo tao incerto no futuro, é preferível organizar tudo agora, pois nunca sabemos o que nos espera”.

A mensagem é de força e superação, mas sobretudo, de manter um compromisso quando o que mais temos presente é que o amor não tinha férias! Ainda com algum receio de que os cuidados extra em todo o lado pudessem despersonalizar de alguma forma o ambiente, o casal conta hoje não ter sentido nada de diferente “não muda em nada o sentimento das pessoas e toda a gente consegue aproveitar o momento. É só uma adaptação, pois o amor não se cancela”.