Agora que estão a tratar dos preparativos para o grande dia, a Internet é uma poderosa aliada: é útil para ver modelos de convites de casamentos, para encontrar lojas de vestidos de noiva e reunir ideias para as lembrancinhas de casamento... No entanto, a Internet (e aqui referimo-nos sobretudo às redes sociais) também tem um lado "negro" que pode interferir na vossa relação. As discussões que podem surgir através das redes sociais, ou até sobre o uso das mesmas, estão frequentemente na origem de desacordos entre os casais, podendo mesmo levar à sua ruptura. Nos últimos anos, o Facebook e o Whatsapp já foram responsáveis por mais de 28 milhões de divórcios, o que só vem provar que, apesar de todos os seus evidentes benefícios, estas plataformas também podem gerar situações de desconfiança e conflito. 

A origem dos problemas

Era uma vez um mundo sem redes sociais, onde procurar inspiração para os presentes de casamento não era propriamente fácil, assim como contrastar preços de alianças de namoro... No entanto, também é bastante seguro dizer que nessa época as discussões eram outras, nunca começando com frases do genero "estavas online e não me respondeste" ou "quem é esta pessoa que está sempre a dar-te likes?". Este é o paradoxo das redes sociais: ajudam-nos a estar em contacto com o mundo, mas podem danificar (e muito) as nossas relações mais importantes. 

E quais são os principais problemas que as redes podem trazer para as relações? De acordo com vários estudos, a desconfiança e a infidelidade estão no topo da lista. Ao notarmos que a nossa cara-metade interatua com pessoas com perfis atrativos, é frequente que a insegurança e o ciúme se apoderem do nosso ânimo. A isto soma-se a própria imaginação, que nos pode levar a acreditar que dita interatuação chega às mensagens privadas, às quais não podemos aceder. Este tipo de dinâmica, quer confirme-se ou não, costuma ser mais que suficiente para gerar sentimentos de desconfiança, receio e indignação. 

Mas há mais! As redes sociais também podem gerar outro tipo de conflitos, que não partem exatamente da desconfiança. O famoso "double-check" do Whatsapp é um bom exemplo. Afinal, quantas vezes é que recriminamos a nossa cara-metade por ter lido a mensagem que enviamos e apenas ter respondido x horas depois, apesar de ter estado conectado? E quantas vezes é que interpretamos a falta de emoticons como sinónimo de indiferença ou fúria? 

Privacidade VS transparência

Um dos principais dilemas com que muitos casais se deparam diz respeito à relação entre transparência e privacidade. Afinal, até que ponto deve cada um exercer a sua liberdade individual no mundo digital sem ter de dar justificações ao outro? Será que é preferível que o casal partilhe as suas passwords para evitar conflitos? Ou é precisamente esta atitude que pode conduzir a problemas relacionados com a falta de privacidade e independência? 

Antes de partilharem as vossas passwords, indaguem o motivo pelo qual querem fazê-lo: é porque um de vocês é controlador e desconfiado? É por uma questão prática, pois costumam usar o mesmo computador? Ou é porque acreditam que "se não há nada a esconder" este é um passo natural? Como podem compreender, este dilema não tem uma resposta óbvia. Por isso, o importante é que sejam honestos e que acabem por encontrar um "terreno comum" em que ambos se sintam confortáveis. 

Manual de sobrevivência

O tema das redes sociais dá pano para mangas, é certo. Mas, se querem evitar os típicas discussões que afetam muitos casais, sigam este manual de sobrevivência:

Estabelecer regras comuns

Como já referimos no parágrafo interior, é importantíssimo que encontrem uma solução justa que seja do agrado de ambos. Se o Facebook ou o Instagram criam tensão entre vocês, estabeleçam algumas "regras" para moderar o assunto. Se acham que a solução passa por partilhar as passwords, que assim seja. Se preferem respeitar a privacidade um do outro mas estabelecer algumas restrições, também. Mas lembrem-se: não é a procura de indícios que resolve a desconfiança. Partilhar as passwords e criar "regras" não impede nada de acontecer; se a relação não estiver a funcionar, seja porque motivo for, não são estas medidas que vão solucioná-la.

Dizer a verdade e sempre a verdade

As redes sociais permitem-nos reinventar-nos. Podemos mentir no nosso perfil e publicações e até viver vidas paralelas nas profundezas dos social media. O nosso conselho? Dizer sempre a verdade. Se és casada/o, não cries um perfil de solteira/o. Não ocultes comentários às fotos com receio da reação da tua cara-metade. Não digas que nunca trocaste mensagens com a pessoa x se for mentira. A honestidade é um dos pilares mais importantes nos relacionamentos, e depreciá-lo nunca teve boas consequências...

Evitar o flirt online... 

Estás constantemente a discutir com a/o tua/teu parceira/o sobre a troca de mensagens com outra pessoa? Então talvez seja o momento de fazer uma pequena introspecção e descobrir as motivações por detrás desta dinâmica. Às vezes, sem nos apercebermos, acabamos por flirtar com pessoas online para compensar a falta de autoestima ou de atenção. Muitas vezes o intuito pode até ser provocar ciúmes. Seja qual for o motivo, o importante é reconhecê-lo e debatê-lo com a/o parceira/o, e não insinuar-se nas redes sociais quando se é comprometido. 

Desconfiança? É hora de conversar

Estar constantemente a vigiar as rede sociais da cara-metade e a ler as suas mensagens privadas é sintoma de que algo não está bem. Afinal, a questão vai muito para além das redes sociais... Se te sentes desconfiada/o ou atormentada/o com o que a outra pessoa possa estar a fazer no mundo digital, não sofras em silêncio. Conversem abertamente sobre o assunto - sem ataques! - e verão como tudo se resolve da melhor forma!

As alianças de casamento simbolizam a união de duas pessoas, não que estas se fusionam num único ser. Como tal, é muito importante que se respeitem um ou outro, assim como aos vossos espaços pessoais. No que diz respeito às redes sociais, já admitimos que não existe uma receita para o sucesso; cada casal gere o tema da melhor forma que pode. Mas lembrem-se que, sem diálogo e honestidade, dificilmente vão conseguir chegar a bom porto. Ah, e um último conselho: deixem as redes de lado e divirtam-se com a pessoa amada! Não há nenhum feed que se compare às emoções da vida real!