COVID-19 Continuamos ao seu lado nestes momentos. Consulte o nosso Centro de Ajuda.

Planificação do casamento

Casamentos e coronavírus: Informacão atualizada em Casamentos.pt

Sara Couto
Por 10 5
Guardado Guardar
Os casamentos continuam a ser afetados por medidas de segurança consequentes da pandemia causada pela COVID-19. Em Casamentos.pt lançámos este centro de ajuda com informações constantemente atualizadas, para que saibas como será o teu casamento.

Com o número de casos positivos da covid-19 a aumentar, e com a nova situação de emergência, foram implementadas novas medidas de forma a conter e inverter o crescimento acelerado da pandemia, visível, nos últimos dias em Portugal.

Se planeias casar nos próximos meses, as informações que vamos oferecer neste centro de ajuda em Casamentos.pt vão ser muito úteis. Com as constantes mudanças nas medidas de segurança em Portugal, está a tornar-se cada vez mais difícil procurar atualmente informações sobre casamentos. Com isto, dezenas de páginas, regulamentos e decretos de todos os tipos fazem parte da nossa rotina diária, para que possam sentir-se exclusivamente informados, atualizados e assim, preparados e confiantes. Fiquem calmos, confiantes que vai tudo dar certo, e sobretudo, atentos! Não percam um único detalhe! 

Como podem comunicar connosco?

Estes são os canais de comunicação que colocamos à vossa disposição para qualquer pergunta ou dúvida que queiram fazer:

  • Comunidade: Compartilhe elogios, dúvidas e amizade na nossa comunidade. Este é o debate central que trata do tema, mas há muitos mais. As administradoras e usuárias destacadas vão guiá-los nos vossos primeiros passos. 
  • E-mail: Para mais temas, escrevam-nos para help@casamentos.pt 

Novo estado de emergência

Com um novo record atingido na passada quarta-feira 13, quanto ao número de casos, o conselho de ministros esteve reunido para acertar medidas de confinamento geral. O primeiro-ministro salientou no comunicado que "a regra é ficar em casa", ou seja, Portugal vai regressar ao "recolhimento domiciliário", à semelhança do que aconteceu em março e abril de 2020. As escolas seguem em funcionamento, reforçando, por outro lado, as medidas de obrigatoriedade do teletrabalho. As medidas serão revistas de 15 em 15 dias, mas o primeiro-ministro considera que as mesmas têm “o horizonte de um mês". Este novo estado de emergência tem inicio às 0h00 de sábado, 16 de Janeiro, e prolongarse-á até às 23h59 de 30 deste mês.

Novas estrições em vigor 

Até ordem contrária, em todo o país passa a ser obrigatório:

  • Dever geral de recolhimento domiciliário, exceto para um conjunto de deslocações autorizadas, nomeadamente:
    • aquisição de bens e serviços essenciais,
    • desempenho de atividades profissionais quando não haja lugar a teletrabalho,
    • participação no âmbito da campanha eleitoral ou da eleição do Presidente da República,
    • a frequência de estabelecimentos escolares, o cumprimento de partilha de responsabilidades parentais
  • Confinamento obrigatório para pessoas com COVID-19 ou em vigilância ativa;
  • Obrigatoriedade de adoção do regime de teletrabalho, sempre que as funções em causa o permitam, sem necessidade de acordo das partes, não sendo obrigatório o teletrabalho para os trabalhadores de serviços essenciais;
  • Regime excecional e temporário de exercício de direito de voto antecipado para os eleitores que estejam em confinamento obrigatório, nomeadamente os cidadãos residentes em estruturas residenciais para idosos e em outras respostas dedicadas a pessoas idosas;
  • Encerramento de um alargado conjunto de instalações e estabelecimentos, incluindo atividades culturais e de lazer, atividades desportivas e termas;
  • Suspensas as atividades de comércio a retalho e de prestação de serviços em estabelecimentos abertos ao público, com exceção dos estabelecimentos autorizados;
  • Os estabelecimentos de restauração e similares funcionam exclusivamente para entrega ao domicílio ou take-away;
  • Os serviços públicos prestam o atendimento presencial por marcação, sendo mantida e reforçada a prestação dos serviços através dos meios digitais e dos centros de contacto;
  • Funcionamento de feiras e mercados, apenas para venda de produtos alimentares;
  • A realização de celebrações e de outros eventos fica proibida, à exceção de cerimónias religiosas e de eventos no âmbito da campanha eleitoral e da eleição do Presidente da República.

Além destas medidas, o Conselho de Ministros decidiu rever o regime contraordenacional no âmbito da situação de calamidade, contingência e alerta e agrava a contraordenação

  • O incumprimento do teletrabalho passa a ser considerada uma contraordenação muito grave;
  • A não-sujeição a teste à Covid-19 à chegada ao aeroporto passa a ser uma contraordenação punível com uma coima de 300€ a 800 €;
  • As coimas são elevadas para o dobro durante o Estado de Emergência.

Casamentos adiados?

Num comunicado do Conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa, foi dito que "tendo em conta as orientações governamentais decretadas para o confinamento que se inicia a 15 de janeiro, continuaremos com as celebrações litúrgicas, nomeadamente a Eucaristia e as Exéquias, segundo as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa de 8 de maio de 2020, emanadas em coordenação com a Direção Geral da Saúde." 

No entanto, outras celebrações, como Batismos, Crismas e Matrimónios, devem ser suspensas ou adiadas para momento mais oportuno, quando a situação sanitária o permitir. A catequese continuará em regime presencial onde for possível observar as exigências sanitárias; de contrário, pode ser por via digital ou cancelada. Recomendam ainda que outras atividades pastorais se realizem de modo digital ou sejam adiadas. 

Um sim com novas limitações

Por enquanto a situação é clara: é aconselhado casarem-se num momento mais oportuno, onde a insegurança e o medo de contágio não é o mote que vos impeça de disfrutar do grande dia que merecem. Mantenham-se positivos e sempre motivados, porque a certeza que tudo vai melhorar mantém-se intacta, e este "momento oportuno" vai chegar. 

No entanto, e mesmo quando chegar este dia, é preciso ter em conta que não é permitida a realização de celebrações e de outros eventos que impliquem uma aglomeração de pessoas em número superior a cinco pessoas, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar. A Direção Geral de Saúde define que celebrações religiosas, como casamentos e batizados (quer sejam civis ou religiosas) fora dos concelhos em risco em risco, não são permitida se o número for superior a 50 pessoas, com a única exceção se estes mesmos casamentos e batizados tenham sido agendados até às 23h59h do dia 14 de outubro, a comprovar por uma declaração da entidade celebrante. 

António Costa afirma que todos os eventos marcados a partir de agora ficam com esta lotação limitada e também com a obrigação de cumprir todas as regras. Isto, claro, sem exageros. “Não vamos proibir que os noivos se beijem”, disse o primeiro-ministro. Com mais ou menos restrições, prevalece o vosso amor! E com ele, continuem a acreditar, e a fazer os possíveis para terem o vosso dia de sonho! 

Número de convidados

Se seguem com os preparativos do vosso grande dia C, certamente já se questionaram sobre quantos convites de casamento personalizados vão enviar! Atualmente, com o novo estado de contingência, não são permitidas celebrações religiosas com mais de 50 pessoas fora dos conselhos em risco. Já nos conselhos com risco elevado, estes ficam restritos apenas a 5 pessoas, podendo ter mais apenas no momento da cerimónia. Uma nova restrição que pode afetar a vossa lista de casamento por agora, mas fiquem tranquilos, e atentos. Vamos dar todas as atualizações em primeira mão. Quem sabe se uma alternativa a esta restrição não será celebrar a grande festa com todos os amigos e entes queridos num futuro próximo? Nada parará o vosso amor, e com ele, podem tudo!

Cerimónia Religiosa e Civil

Se no dia do grande dia optaram por uma cerimónia religiosa ou civil, é fundamental conhecerem a importância de todas as medidas de prevenção, isto permitirá que desfrutem de um momento inesquecível com total segurança. O Governo Português estabelece a manutenção da distância de segurança de 2 metros, o uso obrigatório de máscara dentro das igrejas, lotação máxima de 50 pessoas e portas abertas. Tendo em mente a proteção de todos, não é nada que não se consiga cumprir com alguma facilidade.

Durante a cerimónia religiosa deve ter-se em conta a remoção de objetos ou substâncias do local, como a água benta e outros objectos simbológicos; providenciar uma sinalização para os lugares que podem ser ocupados de forma a garantir o distanciamento; divulgar amplamente e incentivar a adoção das medidas de protecção e distanciamento físico, etiqueta respiratória e higiene das mãos, afixando, por exemplo alguns cartazes à entrada do local; Disponibilizar um dispensador de solução à base de álcool para as pessoas desinfetarem as mãos, pelo menos, à entrada e à saída do local;  higienizar todo o espaço de acordo com a Orientação nº 014/2020 da DGS e aumentar a frequência da higienização dos espaços comuns, bancos, apoios e puxadores de portas, principalmente no final de cada celebração.

O mesmo acontece nos espaços onde vai decorrer a cerimónia civil, para os quais aconselha sempre que possível decorrer à utilização de espaços exteriores, primando por haver mais espaço e liberdade para circular. Nunca se esqueçam que o importante deste dia é a celebração do que vai ser o resto das vossas vidas. Importante cumprir as regras, e mais ainda, celebrar o vosso amor no dia do grande sonho, com segurança!

Organização da Receção

Ansiosos por disfrutarem com os vossos convidados do tão bem escolhido menu de casamento, resta saber as implicações e medidas preventivas para que aproveitem ao máximo desta experiência. As quintas apenas têm de reduzir a lotação para metade, cuidar para que as mesas estejam colocadas a distâncias seguras, (1 metro de distância) assegurar a desinfecção, sendo que, além dos funcionários dos espaços, também os convidados devem utilizar máscara, mas nas mesmas condições em que as utilizam noutros estabelecimentos de restauração.

Mesmo sendo um casamento ao ar livre, é importante ter atenção e dar prioridade a algumas coisas como, cuidados de higienização tendo ao dispor álcool gel, metade da capacidade de lotação nas mesas, o buffet é servido pelos funcionários da quinta, o uso da máscara é obrigatório quando os convidados se deslocarem ao interior da quinta para usarem o WC e a decoração das mesas tem de ser mais simples e pequena. Nada que não impossibilite o sucesso do vosso dia!

Animação e entretenimento

Com as novas restrições, e até ordem contrária, as pistas de dança não estão a funcionar. No entanto, não é impedimento para não se divertirem e tirarem proveito do vosso dia. Sejam criativos! Se não podem arrasar na pista de dança, inovem com outras actividades. Sempre com as devidas restrições de segurança bem presentes, surpreendam os vossos convidados com as melhores ideias de entretenimento para o vosso grande dia! 

Casar nos Açores e na Madeira

Com a evolução constante da pandemia, novas medidas foram implementadas na Madeira e nos Açores. No que toca aos casamentos, o regime é igual ao que atualmente se passa no continente. É aconselhado adiar para um momento mais oportuno, no entanto, quando este "momento" chegar, tenham em conta que os espaços de culto ficam obrigados a admitir apenas um terço da capacidade e, após os atos religiosos, todas as zonas de contacto deverão ser desinfetadas, e as pessoas devem regressar a casa, "sem qualquer convívio no adro ou espaço comum". Nunca esquecer o distanciamento social e o uso obrigatório da màscara. 

Se pensam em trocar as alianças numa das ilhas incríveis do nosso país, não percam a motivação e esperança. Sigam atentos e aguardem por mais informação por parte do Governo Português, que atualizaremos em Casamentos.pt.

Informação Atualizada a 15 de Janeiro de 2021. Continuamos a informar, sigam atentos!

Referências

  1. Decreto Direção Geral de Saúde (DGS): https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/orientacoes-e-circulares-informativas/orientacao-n-0292020-de-29052020-pdf.aspx
  2. Jornal Público : https://www.publico.pt/2020/09/10/sociedade/perguntaserespostas/situacao-contingencia-muda-partir-proxima-semana-1931074
  3. Jornal de Leiria: https://www.jornaldeleiria.pt/noticia/e-eis-que-a-pandemia-deixou-o-meu-agosto-menos-querido
  4. Jornal Açores9: https://jornalacores9.pt/governo-dos-acores-prolonga-situacao-de-calamidade-publica-em-cinco-ilhas/
  5. Jornal Cofina Media, Madeira: https://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/situacao-de-calamidade-prolongada-ate-30-de-setembro-na-madeira
  6. Jornal Observador: https://observador.pt/2020/10/14/as-oito-novas-grandes-medidas-do-governo-para-travar-a-pandemia/
  7. Direção Geral de Saúde (DGS): https://covid19.min-saude.pt/portugal-entra-em-estado-de-calamidade/
  8. Diário da república eletrónico: https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/145440403/details/maximized?serie=I&day=2020-10-14&date=2020-10-01
  9. Revista Visão: https://visao.sapo.pt/atualidade/politica/2020-11-08-covid-19-liberdade-de-circulacao-limitada-nas-tardes-e-noites-dos-proximos-dois-fins-de-semana/?fbclid=IwAR1OmbTK1tHYRSYg0zClnco7uhvliXuVsomlQJGhy-I3wsE30Iq9RjcopOE
  10. Governo Português: https://www.portugal.gov.pt/pt/gc22

 

 

 

5 comentários em "Casamentos e coronavírus: Informacão atualizada em Casamentos.pt"

    Ana Sofia Barata
    Ver mensagem citada
    Olá Sara, Obrigada!
    Enviado a 27 de Janeiro de 2021 às 14:11 Responder
    Sara
    Ver mensagem citada

    Olá Ana. Obrigada pela questão.

    Sim, é isso mesmo! : )

    Enviado a 27 de Janeiro de 2021 às 11:59 Responder
    Ana Sofia Barata

    Quando se referem à declaração da entidade celebrante, referem-se ao registo e ou à cerimónia religiosa. Nada tem haver com a quinta ou espaço onde será celebrada a festa. É isso?

    Obrigada

    Enviado a 4 de Novembro de 2020 às 22:16 Responder
    Armando
    Fix e bombelo
    Enviado a 19 de Setembro de 2020 às 05:36 Responder
    Armando
    Fix e bombelo
    Enviado a 19 de Setembro de 2020 às 05:36 Responder

Deixe o seu comentário

Outros artigos que lhe podem interessar